Entrevista Completa para o jornal Prime Consumo

Assunto: Higienização de ambientes públicos

Link para download da edição  logo abaixo

http://issuu.com/primeconsumo/docs/consumo_vigesima_segunda_edicao

1- Quais são os cuidados necessários para a higiene em transportes coletivos? Ônibus e metrôs devem ser limpos?
Sim, a limpeza de superfícies de transporte e ambiente coletivo (escolas, restaurantes, shoppings, academias) faz parte das ações públicas de higiene. Essa atitude é importante para a quebra da cadeia de transmissão. Um estudo da Universidade de Nottingham, no Reino Unido, mostrou que o uso de transporte público pode aumentar em quase seis vezes as chances de infecções respiratórias. ( http://www.biomedcentral.com/1471-2334/11/16 ). Vírus e bactérias podem resistir por horas a dias em objetos inanimados. A regra é simples: corrimãos, assentos, janelas, paredes e tetos de ônibus e metrô devem ser limpos com pano úmido embebido em água e sabão. Se utilizado álcool, o recomendável é em concentração a 70%. A varredura deve ser realizada com pano úmido, pois certos microrganismos podem ser veiculados pelas partículas de pó. Superfícies com material orgânico devem ser limpas com desinfetante.

2- Qual é a periodicidade que deve ser realizada a limpeza?
Em virtude do intenso fluxo de pessoas a limpeza deve ser diária, ao final de cada jornada de trabalho. As empresas de transporte têm que enxergar que os gastos com práticas higiênicas é uma otimização de custos uma vez que a atitude promove saúde e diminui as chances de falta dos próprios empregados por adoecimento.


3- Que doenças podem ser transmitidas nesses ambientes, onde na maioria das vezes e principalmente no inverno, é fechado (vidros fechados)?
Infecções respiratórias como resfriado comum e gripe são as mais relevantes. Rhinovirus é o principal agente do resfriado enquanto o vírus Influenza é o responsável pela gripe. Em menor escala, a depender do tempo de transporte e condições sanitárias, é possível a ocorrência de infecções gastrointestinais causadas por norovírus, rotavírus e vírus da hepatite A. Muito desses microrganismos, além da transmissão aérea, podem ser propagados através de fômites como, por exemplo, apoio de braços e corrimão de ônibus e de metrô. A dica é sempre ter em mãos um suprimento de álcool gel. Outras doenças de transmissão respiratórias de importância epidemiológica são sarampo, caxumba,  rubéola,  tuberculose e meningites bacterianas. Estar com a carteira de vacinação em dia previne a maioria das doenças citadas.

4- Quais são os cuidados para evitar a contaminação por essas doenças?
Doenças relacionadas à higiene pública são negligenciadas, pois muitas vezes não estamos cientes da exposição a bactérias e vírus.  A infecção ocorre através de transmissão aérea (gotículas produzidas durante a fala, espirro ou tosse) e quando se toca olhos, nariz e boca com mãos contaminadas. Boas práticas de higiene pública são formas de ajudar a proteger a si e aos outros de ficar doente. Lavar as mãos é a primeira delas. O processo deve ser de no mínimo 15 segundos, usando água corrente e sabão comum. Se estes itens não estiverem disponíveis, lance mão de um álcool desinfetante. Use o papel toalha que enxugou as mãos como proteção para abrir a porta de banheiros públicos, uma vez que nem todos tem o hábito de lavar as mãos diligentemente. Quando em transporte público, deve-se ser vigilante sobre o que se toca. A recomendação é tentar minimizar o contato. Eleja sempre uma mão para tocar os objetos. Em caso de necessidade de tocar o próprio corpo use a outra mão, poupada de contaminação. Há outras medidas públicas como abertura de janelas para circulação de ar e instalação de álcool gel em ônibus e vagão de trens, principalmente durante epidemias, para incentivar a boa higiene.

5- E quando você já está contaminado, o que fazer para evitar a proliferação das doenças?
Quanto se está doente é recomendável cuidados de limpeza antes de manusear itens de uso comum. Deve-se adotar comportamento higiênico como tossir ou espirrar cobrindo a boca com o dorso da mão, limpar o nariz preferencialmente enquanto se está no lavatório e usando lenços descartáveis. Se possível limitar a exposição pública para não infectar outras pessoas na comunidade e no local de trabalho. Quanto maior o tempo de exposição, maiores são os riscos de contato com microrganismos e de adoecimento.

6- Depois de utilizar o transporte público, quais são os cuidados de higiene necessários?
Reiteradamente a simples lavagem das mãos com sabão é a ação mais contundente.  Deve-se transformar esta atitude em um comportamento automático. É uma das tentativas mais eficazes para reduzir a propagação de doenças como resfriado comum e gripe. Outro cuidado é a limpeza rotineira de celular, bolsas e itens pessoais uma vez que eles podem ter sido tocados com mãos sujas e consequentemente estarão albergando vírus e bactérias.

Nota: A Lægen Vitalitet não participa de nenhuma rede de convênios e o pagamento de serviços é exigido no ato do atendimento.

Formas de pagamento disponíveis: cartão de débito e crédito (Visa e Mastercard), dinheiro ou cheque.